Jogo Sujo

Prefeito de Guarujá continua preso por suspeita de desvio de verbas da Saúde

Válter Suman prefeito do Guarujá

Após audiência de custódia, o prefeito de Guarujá, Válter Suman (PSDB), e o secretário de Educação, Marcelo Nicolau, permancem presos. Ambos foram detidos pela Polícia Federal por suspeita de desvios de verbas destinadas à Saúde no âmbito da Operação Nadar. Os policiais encontraram uma grande quantia de dinheiro em espécie durante buscas realizadas na quarta-feira (15/9).

O Ministério Público estadual descobriu os indícios de irregularidades no contrato entre a Prefeitura da Baixada Santista e a Organização Social Pró-Vida, administradora da UPA da Rodoviária e de 15 unidades de Saúde de Família (Usafa). Verbas de origem federal, do SUS, teriam sido desviadas no esquema.

A Prefeitura, por sua vez, alega que os contratos em questão sofreram intervenção municipal decretada pelo prefeito Válter Suman, baseada em suspeitas de irregularidades e má gestão por parte da OS, como o não pagamento de salários, verbas rescisórias e de fornecedores. A OS foi desqualificada em julho.

No Guarujá, nas residências do prefeito e do secretário, foram encontrados uma quantia em dinheiro, dois carros e uma motocicleta. Os policiais também estiveram em um prédio de luxo localizado na rua Carolino Rodrigues, no Boqueirão, em Santos.

Com o prefeito preso, a vice-prefeita de Guarujá, Adriana Machado (PSD), assumiu a administração da cidade. A Prefeitura informou que está tomando medidas para investigar o caso, prometendo colaborar com novas apurações.

Redação

Redação

Comentar