Jogo Sujo

Cabral é condenado a mais 33 anos de prisão na Lava Jato

Sergio Cabral

Penas do ex-governador do RJ já somam 266 anos. Para juiz Bretas, é fantasiosa a versão de que os milhões recolhidos eram doações de campanha

A Justiça Federal condenou o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral a mais 33 anos de prisão por crimes investigados pela Operação Lava Jato. Preso desde 2016, ele foi condenado pelos crimes de corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro e evasão de divisas, totalizando US$ 85,383 milhões. A sentença assinada pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal, é a 12ª condenação de Cabral no âmbito da operação. Com a nova sentença, as penas já somam 266 anos.

Na decisão, o juiz Bretas afirmou que o ex-governador fluminense recebeu US$ 3 milhões do exterior e que o valor foi movimentado por meio de transferências bancárias em nome de offshores (entidades constituídas fora do país da sede real da empresa ou domicílio do proprietário). Bretas ainda caracterizou como “fantasiosa” a argumentação da defesa de Cabral de que a quantia seria proveniente de doações de campanha.

“A defesa desse acusado apresenta a fantasiosa tese de que os milhões de reais que recolhia, através de outros membros da organização criminosa montada, seriam apenas ‘doações de campanha’, e não propinas decorrentes de acordos espúrios firmados entre um governador de estado corrupto e empresas interessadas em contratar com o governo estadual”, disse.

Segundo Bretas, não é possível aplicar a atenuante de confissão a Cabral. Isso porque, na sua interpretação, as declarações do ex-governador não foram verdadeiras. Os crimes foram revelados pelos doleiros Renato e Marcelo Chebar, por meio de acordo de delação premiada. Segundo eles, Cabral e outros envolvidos no esquema ocultaram e lavaram valores que somam R$ 318 milhões. O juiz ainda reduziu parte da pena de Cabral pelo fato de ele ter entregue à Justiça patrimônio estimado em R$ 40 milhões, mas não reconheceu como atenuante a confissão do ex-governador.

Em nota, a defesa de Cabral afirmou que vai apresentar recurso contra a condenação: “A defesa irá recorrer por entender que Sérgio Cabral já foi condenado por fatos idênticos e discordar da pena aplicada. Nesse caso, ele não foi reinterrogado, e o juiz levou em consideração um depoimento antigo. De qualquer forma, a postura de auxiliar as autoridades será mantida”.

Redação

Redação

5 Comentários