Jogo Sujo

PF e Receita Federal deflagram operação contra fraude tributária em SP, PR, SC e DF

Operação Saldo Negativo

Mais de três mil empresas no país podem ter sido lesadas. Ação tem como alvo advogados, contadores e servidor público

A Polícia Federal e a Receita Federal deflagraram a Operação Saldo Negativo em várias cidades do país nesta terça-feira (5/11), cumprindo 25 mandados de prisão preventiva e 30 de busca e apreensão nos estados de Santa Catarina, São Paulo, Paraná e no Distrito Federal. O alvo é um grupo suspeito de fraudar declarações de tributos federais por meio de compensação com créditos falsos.

Os investigados são advogados, contadores, pessoas suspeitas de serem intermediárias e um servidor público. Há ordens judiciais de sequestro de bens, incluindo 30 veículos, três motos aquáticas, duas embarcações, 24 imóveis, 106 terrenos e contas bancárias dos investigados com valores que podem chegar a R$ 7,8 bilhões.

Empresas de consultoria tributária participavam do esquema com créditos fictícios
O objetivo da organização criminosa era ficar com a maior parte do valor dos tributos devidos pelos empresários, conforme a Receita Federal. Os suspeitos prestavam assessoria tributária e vendiam supostos créditos, enganando os empresários ao alegar que poderiam usar os créditos, que na verdade não existiam, para compensar débitos com o fisco.

Segundo a Receita Federal, auditorias realizadas pela Delegacia da Receita Federal em Florianópolis identificou “empresas de consultoria tributária” que apresentavam declarações de créditos e débitos (DCTFs), de compensações (PER/Dcomp), de Simples Nacional (PGDAS) e também previdenciárias (GFIP) com créditos fictícios ou de terceiros, também chamados de falsos créditos.

Calcula-se que três mil e 500 empresas, com sede em 597 municípios brasileiros, clientes do grupo, podem ter sido lesadas.

Redação

Redação

Comentar