Jogo Sujo

Vereadores de Santa Rita (PB) são presos por viagem a falso seminário em Gramado (RS)

Operação Natal Luz

De acordo com a polícia, grupo fez turismo usando dinheiro público. Somente as diárias custaram R$ 69 mil. Prisão ocorreu no desembarque no aeroporto

Onze vereadores e um contador da Câmara Municipal de Santa Rita, na Grande João Pessoa, foram presos nesta terça-feira (5/11), suspeitos de custear despesas de uma viagem turística na cidade de Gramado (RS) com dinheiro público, sob a justificativa de um suposto seminário de capacitação de servidores públicos. O grupo foi preso pouco após deixar o Aeroporto de Recife, onde desembarcou ao retornar de Gramado. Segundo a polícia, o seminário era falso.

A prisão faz parte da Operação Natal Luz, do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público da Paraíba (MPPB). De acordo com o delegado Allan Terruel, a empresa organizadora da viagem é de Sergipe. Somente em diárias foram gastos R$ 69 mil. Entre os vereadores detidos, está o presidente da Câmara do município, Anésio Alves. O nome da operação faz referência ao tradicional show de luzes natalinas que ocorre anualmente em Gramado.

“Houve um trabalho de monitoramento e o que foi relatado e está materializado é que, durante cinco dias, houve apenas três reuniões, sempre no período da manhã. Depois desses encontros, cada um saía para turistar”, disse o promotor Romualdo Tadeu de Araújo Dias.

No local indicado pelo folder como endereço do evento, não havia qualquer programação. Depois de uma varredura em pelo menos 30 hotéis, se descobriu que o suposto evento ocorreria no Hotel Villa do Aconchego, que contava com a participação apenas dos vereadores paraibanos.

Gastos com viagens aumentaram desde 2017
Os vereadores também participaram de outros congressos de capacitação em Pernambuco, Rio Grande do Norte e Paraná. Somente com diárias, em 2017, os vereadores da atual gestão gastaram R$ 316.711,88.  Em 2018, o valor subiu para R$ 425.798,00, e em 2019, até o momento, foram R$ 585.492,24 usados para custear a estadia dos suspeitos.

Foram presos os vereadores Anesio Alves de Miranda Filho, Brunno Inocencio da Nóbrega Silva, Carlos Antônio da Silva, Francisco de Medeiros Silva, Diocélio Ribeiro de Sousa, Francisco Morais de Queiroga, João Evangelista da Silva, Ivonete Virgínio de Barros, Marcos Farias de França, Sérgio Roberto do Nascimento e Roseli Diniz da Silva.

Redação

Redação

Comentar