Jogo Sujo

Casados, ex-prefeitos de Porto Seguro e Eunápolis são presos por fraude milionária

Prefeitos Bahia

Os ex-prefeitos das cidades baianas de Eunápolis e Porto Seguro, José Robério Oliveira e Cláudia Oliveira, respectivamente, ambos do Partido Social Democrático (PSD), foram presos hoje (15/6) pela Polícia Federal durante a nova fase da Operação Fraternos. A força-tarefa investiga fraudes milionárias em contratos municipais no Sul da Bahia. A Justiça manteve as prisões preventivas de ambos, após audiência de custódia realizada nesta tarde.

Além dos dois ex-prefeitos, outras pessoas foram alvos da operação, como Humberto Adolfo Gattas Nascif Fonseca Nascimento, Ricardo Luiz Rodrigues Bassalo, Marcos da Silva Guerreiro e Edmilson Alves de Matos. O atual prefeito de Santa Cruz Cabrália, Agnelo da Silva Santos (PSD), que também é investigado pela força-tarefa, já foi afastado do cargo por 180 dias. Os policiais também cumpriram mandados em Vitória da Conquista e Salvador. A Justiça ainda determinou o sequestro de bens e valores de cerca de R$ 11 milhões dos investigados.

De acordo com a Polícia Federal, quando ainda prefeitos, em 2009, Claudia Oliveira, José Robério Olveira e Agnelo Santos, que são parentes, usavam empresas familiares para simular licitações e desviar milhões de contratos públicos. Claudia Oliveira é casada com José Robério, além de ser irmã de Agnelo Santos.

Os contratos fraudados soma R$ 200 milhões, segundo os investigadores. O esquema funcionava quando as prefeituras abriam licitações e empresas ligadas à própria família dos prefeitos simulavam uma competição entre si. Chegou a ser identificada uma “ciranda da propina”, com as empresas dos familiares se revezando na vitória das licitações. Após a contratação da empresa vencedora, parte do dinheiro repassado pela prefeitura era desviado em nome de terceiros, para dificultar a identificação dos destinatários. Em resumo, o dinheiro retornava para os membros da organização criminosa. Os investigados responderão por organização criminosa, fraude a licitações, corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro.

Redação

Redação

Comentar