Jogo Sujo

Condenado a 13 anos de prisão delegado que chefiava fraude no Detran de Santa Luzia (MG)

dinheiro fraude Detran

O delegado da Polícia Civil, Christian Nunes de Andrade, foi condenado a a 13 anos, três meses e dez dias de prisão, além de multa de 77 salários mínimos, por organização criminosa, peculato e crime continuado. Os atos criminosos aconteceram no Detran de Santa Luzia (MG), através do qual ele liderava um esquema de fraudes de blitz de trânsito e emissão de documentos de veículos. A prisão foi determianda em regime fechado e sem a possibilidade de recorrer em liberdade.

Christian, que era chefe da Delegacia Regional de Trânsito de Santa Luzia, foi denunciado em 2019 pelo Ministério Público de Minas Gerais, e preso no âmbito da Operação Cataclisma. Outros 15 suspeitos  foram denunciados pelo MP, entre os quais 13 foram condenados – incluindo policiais civis, militares, servidores cedidos ao Detran, despachantes, comerciantes de veículos e a dona de um pátio onde ficavam os carros apreendidos.

Com a ajuda de policiais militares aliados, o delegado organizava blitz de trânsito e apreendia veículos com problemas de documentação. Em seguida, os criminosos cobravam propina para liberar os veículos, mesmo sem que as irregularidades tivessem sido resolvidas. Os valores pagos pelas diárias nos pátios também eram divididos entre as empresas e os policiais do esquema. Estima-se que a quadrilha tenha faturado mais de R$ 19 milhões com a fraude envolvendo o Detran.

 

Redação

Redação

Comentar