Jogo Sujo

CPI aponta nepotismo e super salários em antigas gestões da Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá

Santa Casa MT

O relatório final da CPI será encaminhado para o Ministério Público Federal (MPF), Ministério Público Estadual (MPE) e Delegacia Fazendária (Defaz)

Os vereadores que compõem a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Santa Casa, instaurada na Câmara de Cuiabá, entregaram o relatório final ao Ministério Público Federal, Ministério Público Estadual e à Delegacia Fazendária (Defaz), apontando diversas irregularidades nas antigas gestões do hospital filantrópico. A CPI, presidida pelo vereador Delegado Marcos Veloso (PV), foi aberta em maio em decorrência da situação financeira do hospital, que fechou as portas em março após os trabalhadores entrarem em greve em razão dos salários atrasados. O documento foi aprovado, por unanimidade, pelos 11 vereadores que compõem a CPI.

A primeira irregularidade apontada diz respeito a nepotismo e a super-salários supostamente pagos a irmã, filha e primo do ex-presidente Antônio Preza. O relatório também apontou excesso no quadro de funcionários, mas ressaltou que, apesar disso, o atendimento era insuficiente para a demanda de pacientes e havia problemas nas contratações das prestadoras de serviço.

“Percebeu-se com a investigação que a maioria das empresas que prestava serviços para a Santa Casa não possuía qualquer contrato de prestação de serviços e os contratos firmados, pela minoria, eram feitos de maneira irregular”, diz trecho do relatório.

Superfaturamento, parcialidade na contratação de médicos e salários atrasados
Ainda de acordo com o documento, os valores da prestação de serviço eram superfaturados e havia parcialidade na contratação dos médicos, uma vez que era necessária prévia aprovação da diretoria para efetivar tal contratação. Foi constada ainda acumulação de cargos entre os sócios das empresas e da Santa Casa e afinidade parental entre os sócios e os membros da diretoria.

“Além de tais funcionários serem pagos antecipadamente, recebiam em média salário cerca de três vezes maior do que o valor de mercado, que chegava ao absurdo valor de R$ 15 mil a R$ 20 mil. Entre eles, três sendo parentes do ex-presidente Antônio D’Oliveira Gonçalves Preza (sendo irmão, filha, e primo), além da esposa do ex-presidente [médico Luis Felipe] Saboia”, consta trecho do documento.

Após quatro meses fechada, em julho, o governador Mauro Mendes (DEM) reabriu as portas para a população sob o nome de Hospital Estadual Santa Casa.

 

Redação

Redação

Comentar