Jogo Sujo

Ex-deputado Índio da Costa é preso no Rio

O candidato a governador em 2018 foi detido, junto com outras oito pessoas, em uma ação da Polícia Federal que apura supostas fraudes nos Correios

Em uma ação deflagrada para desarticular uma organização criminosa que atuava junto à Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, a Polícia Federal prendeu o ex-deputado federal, ex-candidato à Prefeitura do Rio e ex-secretário municipal de Urbanismo, Infraestrutura e Habitação da gestão de Marcelo Crivella (2017 a 2018), Índio da Costa. Ele, atualmente sem partido, também foi presidente da comissão especial que criou o projeto da Lei da Ficha Limpa e candidato a vice-presidente na chapa de José Serra em 2010.

Índio, que foi levado para a Superintendência da Polícia Federal, integrou o PTB, o DEM e o PSD. A Operação Postal Off teve início em novembro de 2018, em Santa Catarina, e identificou a participação ativa de funcionários dos Correios em um esquema que fazia com que “grandes cargas postais de seus clientes fossem distribuídas no fluxo postal sem faturamento ou com faturamento muito inferior ao devido”. 

De acordo com a PF, “dados preliminares indicam um prejuízo ao erário no montante de R$ 13 milhões, apenas no que se refere às postagens ilícitas já identificadas, não computado o prejuízo diário que estava sendo causado pelo grupo investigado”.

A PF informou que foram detidos agentes dos Correios, empresários e funcionários de empresas que eram utilizadas como “laranjas” pela organização criminosa, de acordo com o delegado Cristian Luz Barth, responsável pela investigação em Santa Catarina. De acordo com Barth, o esquema era tão intrincado que até mesmo cargos nos Correios tinham um preço. Segundo ele, havia cargos que custavam de R$ 200 a R$ 250 mil.

Superintendente do RJ também foi preso
Cerca de 110 policiais federais cumpriram nove mandados de prisão preventiva e 19 mandados de busca e apreensão no Rio de Janeiro e dois mandados de prisão preventiva e cinco mandados de busca e apreensão em São Paulo. Também foi preso o superintendente estadual de Operações dos Correios, Cleber Isaías Machado.

Em uma entrevista concedida à imprensa em maio, o ex-parlamentar havia anunciado sua saída do mundo político:
“O Brasil hoje está muito na base da extrema-direita ou da extrema-esquerda. O caminho do centro, do bom senso, está se perdendo. Também pesou o pedido da minha família”, comentou na época.

Redação

Redação

Comentar