Jogo Sujo

Ex-gerente da Petrobras condenado na Lava Jato vai para a domiciliar devido ao coronavírus

Presídio Lava Jato

Roberto Gonçalves tem 65 anos de idade e pertence ao grupo de risco

O ex-gerente Internacional da Petrobras Roberto Gonçalves, condenado na Operação Lava Jato, foi autorizado pela Justiça Federal a cumprir prisão domicilar por ser idoso e pertencer ao grupo de risco do novo coronavírus. Ele tem 65 anos de idade e encontrava-se preso no Complexo Médico-Legal, em Pinhais, na Região Metropiltana de Curitiba.

“Por se tratar o requerente de pessoa mais vulnerável ao risco de contaminação, substituo, por ora, a prisão preventiva de Roberto Gonçalves por prisão domiciliar, sob monitoração eletrônica”, diz a decisão da juíza Gabriela Hardt, da 13ª Vara Federal de Curitiba.

Roberto Gonçalves deve seguir para sua residência no muncípio fluminense de Niterói. Ele foi condenado por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e pertinência à organização criminosa, a 17 anos pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4).

A decisão judicial ainda prevê que o condenado pague os custos com a tornozeleira eletrônica, que é de R$ 154,14 por mês. Para a defesa de Roberto Gonçalves, a decisão foi justa. O Paraná tem até agora 60 casos confirmados da doença.

Cadeia da Lava Jato terá ala para detentos com a covid-19
O Departamento Penitenciário do Paraná (Depen) informou que a cadeia onde ficam os presos da Lava Jato terá uma ala para atender possíveis casos de detentos diagnosticados com coronavírus em Curitiba e na região metropoliana.

Com isso, a sétima galeria do Complexo Médico Penal (CMP), onde ficam os presos da Operação, será transferida para uma área anexa e separada das demais. No local, será reativado o hospital penitenciario, que havia sido fechado para receber os presos da ação de combate à corrupção.

Redação

Redação

Comentar