Jogo Sujo

Pandemia alimentou o vírus da corrupção no país, revela presidente de saída do TCU

José Múcio Monteiro

Para o presidente de saída do Tribunal de Contas da União (TCU), José Múcio Monteiro, a pandemia da Covid-19 acabou alimentando o vírus da corrupção no Brasil, e os gestores têm se aproveitado da luta contra a doença para desviar recursos dos cofres públicos.

Em entrevista concedida à imprensa, José Múcio, que acaba de sair da presidência do TCU após dois anos, afirmou que o vírus “chegou aqui e retroalimentou um velho conhecido nosso, que vem do império, que é o vírus da corrupção”.

“Esse é brasileiro, fala todos os sotaques, fala com o meu sotaque, fala com o de vocês. Esse é um velho vírus. O mal intencionado não tem partido, ele acha que roubar dinheiro público não faz ladrão, que ele não está roubando de pessoa física”, afirmou.

“Nós fomos instados a trabalhar em emergência. Ligava o camarada e dizia: olha, se você não decidir, se o tribunal não decidir isso hoje, vai morrer, gente. Então imagina como era o drama. E esse povo que gosta de servir-se, em vez de servir à sociedade, vive enganchado no governo pra tirar proveito disse ‘olha, nós estamos em casa, porque agora nós vamos dizer que vai morrer gente’”, relatou o ministro, prestes a se aposentar, no programa Poder em Foco, do SBT.

Deputados queriam a liberação de compras de respiradores a qualquer preço

O ministro revelou ainda que deputados e senadores sugeriram o “liberou geral”.

“É para comprar respirador? Libera qualquer preço. É pra comprar máscara, libera qualquer preço, avental, remédio… Não!”

Desde o início da pandemia, em março, o Tribunal de Contas da União já abriu mais de 170 processos para verificar a legalidade e a regularidade dos gastos voltados para o combate à doença, que já matou mais de 191 mil pessoas no Brasil. Múcio ainda informou que o TCU lançou um programa chamado Coopera e que todas as ações relacionadas à pandemia estão sendo analisadas individualmente.

“Todos serão fiscalizados. Alguns serão chamados a posteriori achando que foram esquecidos ou que passaram desapercebidos”, avisou sobre as suspeitas de corrupção.

Redação

Redação

Comentar