Jogo Sujo

Bretas decreta prisão preventiva de Rei Arthur, foragido desde 2017

O juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, decretou novamente a prisão preventiva do empresário Arthur Soares, o “Rei Arthur”, que está foragido desde 2017. O magistrado também determinou o retorno à prisão do empresário Vinícius Peixoto, filho do empresário Mário Peixoto, envolvido em esquemas de desvios de recursos através de contratos da Saúde fluminense.

O despacho de Bretas ocorre em um processo no âmbito da Operação Favorito e foi assinado no domingo. O Ministério Público Federal (MPF) constatou, que Arthur Soares trocou mensagens eletrônicas com Mário Peixoto em abril do ano passado, quando já era considerado foragido, para instruir o empresário sobre um depósito numa conta bancária cuja finalidade era quitar um empréstimo entre os dois. Arthur teria financiado para Mário Peixoto, segundo o MPF, a aquisição de dois apartamentos em Miami para dissimular pagamentos de vantagens indevidas para favorecer Paulo Melo, ex-deputado estadual.

O contato entre os dois foi compreendido pelo MPF e por Bretas como um sinal de que a organização criminosa pela qual são acusados seguiu funcionando mesmo após ser descoberta pelas autoridades.

Desdobramento da Lava-Jato, Operação Favorito investiga desvios na Saúde do Rio. A apuração envolve susposto desvio de cerca de R$ 500 milhões do governo do estado do Rio de Janeiro e de prefeituras. Esses recursos foram provenientes de contratos emergenciais por causa do coronavírus.

“Rei Arthur” está nos Estados Unidos e foi preso em Miami, em outubro do ano passado, por não estar portando documentos que comprovassem autorização para permanecer em solo americano. Ele foi solto 24h depois de seus advogados agirem para regulamentar a situação. Procuradores esperavam que ele fosse deportado, uma vez que enviaram pedido de extradição aos EUA ainda em 2017. Arthur, no entanto, não retornou ao país.

O empresário foi acusado pelo MPF, na Operação Unfairplay, de pagar propinas a membros do Comitê Olímpico Internacional (COI) para que o Rio fosse eleito sede dos Jogos Olímpicos de 2016.

Para Bretas, “não há qualquer dúvida da imperiosa necessidade da prisão preventiva” de Arthur Soares, uma vez que ele “encontra-se foragido e, mesmo ciente das ações penais contra ele em andamento nesse Juízo, continua, em tese, praticando atos ilícitos em conjunto com os integrantes da organização criminosa”.

No documento, Bretas também determina que Vinícius Peixoto deixe o regime domiciliar e volte a permanecer detido em unidade prisional. A prisão dele aconteceu na manhã desta segunda-feira e foi conduzida por agentes da Polícia Federal (PF).

Peixoto havia sido transferido para casa depois de contrair o novo coronavírus, mas o MPF encontrou indícios de que ele teria utilizado a domiciliar para tentar se desvincular de empresas envolvidas nos crimes investigados pela Lava-Jato.

Segundo Bretas, Vinícius Peixoto “é apontado como um dos principais integrantes da organização criminosa, figurando em posição de comando; logo a sua manutenção em domiciliar é capaz de abalar toda a investigação edificada até o momento”. O empresário foi liberado para permanecer em casa há 35 dias, já tendo superado os 14 dias de isolamento recomendados por autoridades de saúde.

Foto: divulgação

Redação

Redação

1 Comentário

  • Rei Arthur e a Carla Werneck, são velhos conhecidos no Detran-RJ.
    Atualmente, a servidora extra quadro Carla Werneck, prima do Vice-Governador Claudio Castro é quem manda no Detran-RJ.
    Ela comanda a farra da terceirização no órgão a mando direto do Vice-Governador que tenta virar Governador através do Impeachment.
    Se os contratos da saúde então dando problema, imaginem os contratos do Detran-RJ, principalmente nas diretorias que tratam de identidade, CNH e Veículos, no quesito terceirização, mão de obra terceirizada para exercer funções dos servidores públicos concursados.
    O Presidente do Detran-RJ, só consegue trabalhar depois do “aval” dessa senhora, a prima do 02 do RJ.
    Não somente na terceirização, mas também nas nomeações e exonerações dos servidores indicados pela Alerj.
    Moeda de troca que ela comanda lá dentro.
    Detran-RJ não tem contrato de manutenção, vigilância e limpeza…tudo na lupa do Ministério Público e Polícia Federal, assim como os contratos da DIC, Habilitação, Registro de Veículos e Aluguel de veículos.