Jogo Sujo

Crivella é alvo de investigação do MP-RJ

prefeito Marcelo Crivella

Procedimento é baseado em delação premiada de doleiro. Prefeito do RJ acusa jornal O Globo de perseguição política

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) abriu um procedimento para investigar a denúncia da criação de um balcão de negócios na prefeitura do Rio para a liberação de verbas a empresas mediante pagamento de propina, informou nesta segunda-feira (2/12) o jornal O Globo. A apuração está baseada na colaboração premiada do doleiro Sérgio Mizhay, preso pela operação Câmbio, Desligo em 2018.

Homologada pelo Tribunal de Justiça do Rio, a delação de Mizhay aponta o empresário Rafael Alves, irmão do presidente da Riotur, Marcelo Alves, como o operador do suposto esquema no município. O prefeito Marcelo Crivella é alvo da investigação.

O procedimento estava paralisado desde julho, quando o presidente STF, Dias Toffoli, suspendeu mais de 900 investigações pelo país que utilizaram dados do antigo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), atual Unidade de Inteligência Financeira. Por citar Crivella, o procedimento está a cargo do Grupo de Atribuição Originária Criminal do MP-RJ.

Em seu depoimento, Mizhay afirma que Rafael Alves lhe entregava semanalmente cheques oriundos de prestadores de serviço da prefeitura para posterior recebimento em espécie. Um dos cheques, conta o doleiro, referia-se à propina paga pela empresa Locanty, especializada em serviços como limpeza, coleta de lixo e locação de veículos. Embora a empresa não tenha contratos na gestão Crivella, ainda protesta recursos a receber da administração passada de um contrato de aluguel de veículos para reboque de carros.

Crivella reclama de perseguição
O prefeito Marcelo Crivella, por sua vez, acusou o jornal O Globo de perseguição e “panfletagem política”.

“O sistema de comunicação da prefeitura me fez um pedido que eu compreendi. Eles estão indignados com O Globo, que não é jornal, não faz mais jornalismo. É um panfleto político, fazendo militância, tentando de todas as formas, através de ameaças e chantagens, de que a prefeitura ceda às suas ambições de publicidade. Portanto, a partir de agora, a Prefeitura do Rio de Janeiro ignora todos os pedidos vindo deste panfleto político conhecido como O Globo. Todos os demais jornais do país terão nosso prestígio, a resposta, menos O Globo, publicou Crivella em uma publicação nas suas redes sociais.

 

Redação

Redação

Comentar