Jogo Sujo

Defesa tenta adiar depoimento de Witzel previsto para esta semana no processo de impeachment

A defesa de Wilson Witzel tenta, mais uma vez, adiar o depoimento do governador afastado no processo de impeachment. O interrogatório está previsto para esta semana. O Tribunal Especial Misto marcou para quarta (7/4) e quinta-feira (8/4) os dois depoimentos que faltam para concluir o processo. Deverá ser ouvido, além de Witzel, o ex-secretário estadual de Saúde, Edmar Santos.

O interrogatório de Witzel foi adiado em dezembro por uma decisão do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal. Ele acatou um pedido da defesa, a qual alegou que o interrogatório de Witzel deveria ser o último ato da colheita de provas, após o acesso ao conteúdo da delação premiada do ex-secretário de Saúde pelos advogados de Witzel.  Agora, os advogados argumentam que não tiveram acesso a toda a delação e que manter o interrogatório seria um cerceamento à liberdade de defesa.

Em março, o presidente do Tribunal Especial Misto, desembargador Henrique Figueira, determinou que a defesa de Witzel e a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) tivessem acesso a todos os depoimentos do processo e a todas as provas anexadas. Portanto, não existem impedimentos aos interrogatórios, afirma o desembargador.

Conforme o blog noticiou, Witzel foi afastado e denunciado pela Procuradoria-Geral da República por desvir recursos milionários da Saúde destinados ao combate à pandemia. O governador chegou a ser apontado como o chefe de uma organização criminosa que fazia os desvios de recursos públicos. Réu por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, ele nega qualquer irregularidade.

 

Redação

Redação

Comentar