Jogo Sujo

MP do Mato Grosso denuncia ex-secretário, servidora e empresário por burlarem licitação e pede ressarcimento de R$ 1,2 milhão

Julio Modesto, ex-secretário de Gestão de Mato Grosso

O secretário de Gestão durante o governo de Pedro Taques (PSDB), Julio Modesto, teria contratado empresa declarada inabilitada e citada em delação premiada

O ex-secretário de Gestão de Mato Grosso durante o governo Pedro Taques (PSDB),  Julio Modesto, foi denunciado pelo Ministério Público de Mato Grosso (MPEMT) por fraudes na contratação da empresa Sal Aluguel de Carros Ltda., que gerou um prejuízo de R$ 1,2 milhão aos cofres públicos estaduais. Também são alvos da ação de improbidade administrativa com pedido de ressarcimento do valor do prejuízo a servidora pública Cilbene Arruda Velo e o empresário Alexssandro Neves Botelho, proprietário da locadora de veículos.

A licitação visava prestação de serviços de locação de micro-ônibus, com motorista, para atender as necessidades dos órgãos do Poder Executivo de Mato Grosso. A Sal Locadora foi declarada vencedora do certame pela servidora Cilbene e homologada pelo secretário, embora, de acordo com denúncia do MPE, estivesse impedida de participar de licitações e de contratar com a Administração Pública Estadual.

“A Sal Aluguel participou e venceu parte da licitação, mesmo tendo sido apresentado na fase de habilitação contrato social que evidenciava a participação da empresa Sal Locadora de Veículos Ltda na constituição da sociedade recém criada, sendo que esta última estava proibida de participar de licitações e de contratar com a Administração Pública”, diz trecho da denúncia do MPE.

O MPE ainda destacou que Alexssandro  foi citado em delação premiada pelo empresário Rodrigo Barbosa, filho do ex-governador Silval Barbosa, que revelou que o dono da Sal pagava propina para manter seus contratos com o governo. “Importante registrar, ainda, que o réu Alexssandro Neves Botelho, além de utilizar diversas pessoas jurídicas para burlar os procedimentos licitatórios, pagava propina a Rodrigo da Cunha Barbosa, filho do ex-governador do estado, Silval da Cunha Barbosa, certamente para manter os contratos anteriores que tinha com o estado de Mato Grosso e eram objeto de fraude”, diz trecho da denúncia.

 

Redação

Redação

4 Comentários