Jogo Sujo

MPF investiga dispensa de licitação em maternidade estadual de Manaus

Maternidade Ana Braga

Empresa DMC recebeu R$ 465 mil dos cofres públicos em contrato acrescido de aditamento sem concorrência pública

O Ministério Público Federal (MPF) instaurou inquérito civil para apurar suposto ato de improbidade administrativa em contrato firmado entre a DMC Comércio e Manutenção de Produtos Hospitalares e a Maternidade Ana Braga, na zona leste da capital amazonense, no valor de R$ 232 mil, durante a gestão de Omar Aziz.

O documento é assinado pelo procurador da República Armando César Marques de Castro, que resolveu considerar a existência do Procedimento Preparatório instaurado a partir de ofício encaminhado pelo Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM), para fins de apurar eventuais atos de improbidade administrativa praticados por Ana Valéria Costa de Matos e Ana Maria Medeiros de Souza, respectivamente diretora e gerente administrativa da Maternidade Ana Braga.

O contrato foi firmado em 2013 para a prestação de serviços de manutenção de equipamentos hospitalares. A vigência ocorreu de abril a julho daquele ano, com um aditamento de mais três meses. No total, durante seis meses, a empresa recebeu, sem licitação, R$ 465 mil dos cofres públicos.

Redação

Redação

1 Comentário