Jogo Sujo

Operação Argentários: presos diretores da financeira MunicredPOA

Vereador André Carús (MDB),

Vereador André Carús (MDB), suspeito de obrigar servidores a tirar empréstimos, já havia sido preso na primeira fase da operação

A Polícia Civil prendeu mais três pessoas suspeitas de integrar um esquema para extorquir assessores da Câmara de Vereadores de Porto Alegre. Dois diretores da MunicredPOA e um gerente vinculado à financeira foram presos temporariamente nesta terça-feira (8). Os detidos não tiveram os nomes divulgados. As prisões foram realizadas na Capital e em Canoas (RS). De acordo com a polícia, a segunda fase da Operação Argentários busca investigar o núcleo financeiro do suposto esquema. Na primeira etapa da ofensiva, no dia 1º de outubro, o vereador André Carús (MDB) foi preso suspeito de obrigar servidores a tirarem empréstimos consignados para entregarem o dinheiro a ele. Carús — que se licenciou do cargo por tempo indeterminado — teve a prisão temporária prorrogada e está no Presídio Central. Ele nega as acusações.

Nesta segunda-feira (7/10), um assessor do parlamentar que, segundo a polícia, tinha “participação ativa” no esquema, foi preso. Outras duas pessoas detidas na operação já foram soltas. Com as prisões realizadas hoje, a investigação busca mais informações sobre os empréstimos consignados aos servidores. A maioria alegava que tinha problemas de saúde, o que a polícia apurou não ser verdade. A ideia, conforme a apuração, era agilizar a liberação do dinheiro, que seria repassado ao vereador. Os servidores seguiam pagando as parcelas, mesmo após possíveis demissões.

A MunicredPOA informou que está prestando todos os esclarecimentos à Polícia Civil:
“A Municred ressalta que está colaborando com as investigações e fica à disposição de seus cooperados para esclarecer qualquer dúvida”. O site da companhia de crédito foi retirado do ar.

Redação

Redação

4 Comentários