Jogo Sujo

Primeira operação da Lava Jato de 2021 mira filhos do senador Edison Lobão

Helcópero apreendido Lava Jato

A Polícia Federal realiza nesta terça-feira (12/01) a primeira operação do ano da Lava Jato, o que corresponde à  79ª fase da força-tarefa. A Operação Vernissage tem como alvos os filhos do senador e ex-ministro de Minas e Energia Edison Lobão. Márcio Lobão e Edison Lobão Filho são investigados por suspeita de participação em um esquema para fraudar licitações através de pagamento de propinas a executivos da Petrobras e da Transpetro.  O senador, no entanto, não é alvo da Operação Vernissage.

Onze mandados de busca e apreensão expedidos pela 13ª Vara Federal em Curitiba foram cumpridos em Brasília, São Luís do Maranhão, São Paulo e Angra dos Reis (RJ).

“Suspeita-se que os contratos celebrados pela Transpetro com algumas empresas teriam gerado, entre os anos de 2008 e 2014, o pagamento de mais de R$12 milhões em propinas a este grupo criminoso”, comunicou a Polícia Federal.

De acordo com os investigadores da nova fase da Lava Jato, após o recebimento da propina, eram realizadas operações de lavagem de capitais com o objetivo de  ocultar sua origem ilícita. Uma das formas usadas era a compra de transações imobiliárias e obras de arte — daí o nome da operação.

Helicóptero, carros de luxo e obras de arte foram apreendidos pela PF

Os mandados visam apreender mais de 100 obras de arte que estavam sob o poder dos investigados. As obras serão levadas para Curitiba para uma perícia policial. Em São Luís (MA), foram apreendidos um helicóptero e carros de luxo.

Segundo os policiais federais que atuam na Lava Jato, as notas fiscais e os recibos das obras de arte eram emitidos à Receita Federal com valores inferiores aos praticados. A diferença entre o valor pago e o declarado poderia variar de 167% a 529%.

“No caso das obras de arte, tais operações consistiam na aquisição de peças de valor expressivo com a realização de pagamento de quantias ‘por fora’, de modo que não ficassem registrados os reais valores das obras negociadas. Neste caso, tanto o comprador, quanto o vendedor emitiam notas fiscais e recibos, mas declaravam à Receita Federal valores flagrantemente menores do que aqueles efetivamente praticados nas transações”, informou ainda a Polícia Federal.

Redação

Redação

Comentar