Jogo Sujo

Senadora Rose de Freitas quitou imóveis com recursos da Codesa, afirma PF

Senadora Rose de Freita

A Polícia Federal (PF) identificou indícios de que um esquema de desvios de recursos da Companhia de Docas do Espírito Santo (Codesa), administradora do Porto de Vitória, no Espírito Santo, bancava despesas pessoais da senadora Rose de Freitas (MDB-ES). De acordo com as investigações, houve a quitação de boletos de imóveis e pagamentos de faturas de cartão de crédito. A parlamentar nega ter praticado irregularidades.

A partir da quebra do sigilo bancário dos investigados, a PF identificou transações financeiras suspeitas que envolvem o irmão da senadora, Edward de Freitas, e um primo dela, Ricardo Saiter. Ambos eram funcionários da Codesa. O inquérito revela que empresas com contratos com a Codesa teriam sido pressionadas a pagar propinas para Edward e Ricardo, que usariam os recursos para quitar as despesas da senadora.

No dia 12 de maio, a PF efetuou a prisão temporária de Edward de Freitas e Ricardo Saiter, e realizou buscas e apreensões nos endereços da senadora no âmbito da Operação Corsários. Entre os endereços, estavam a residência em Vitória e o apartamento funcional da parlamentar, em Brasília. Os crimes teriam sido praticados entre 2015 e 2018.

A defesa de Rose de Freitas afirma que as despesas da senadora foram pagas com recursos lícitos.

“Em respeito ao sigilo determinado pelo Ministro Nunes Marques no âmbito da citada investigação, entretanto, a defesa não fará comentários específicos sobre os trechos dos documentos vazados, supostamente contidos naquele inquérito”, afirmaram, em nota, os advogados da senadora.

Redação

Redação

Comentar