Jogo Sujo

Ricardo Coutinho é preso ao desembarcar no aeroporto de Natal

Ricardo Coutinho

Ex-governador da Paraíba é apontado pela Operação Calvário-Juízo Final como membro de organização criminosa que desviou R$ 134,2 milhões de recursos da saúde e da educação

O ex-governador da Paraíba Ricardo Coutinho (PSB) foi preso no fim da noite de ontem (19/12), ao desembarcar no aeroporto internacional de Natal, após viagem de férias à Europa. Ele é um dos alvos da sétima fase da Operação Calvário-Juízo Final, que investiga desvios de R$ 134,2 milhões na saúde e educação da Paraíba, conforme o Jogo Sujo noticiou.

Coutinho foi levado por policiais federais até a sede da PF em João Pessoa. Após audiência de custódia realizada na manhã desta sexta-feira (20/12) na Câmara Criminal do Tribunal de Justiça da Paraíba, ele teve a prisão preventiva mantida pelo juiz Adilson Fabrício, e será recolhido para uma cela especial na Penitenciária Média Hitler Cantalice.

Segundo a PF, conversa do ex-governador com operador mostra negociação de valores
O grupo é investigado por corrupção e financiamento de campanhas de agentes políticos, além de superfaturamento em equipamentos, serviços e medicamentos. Os repasses eram feitos por meio de fraudes em procedimentos licitatórios e em concurso público. De acordo com os investigadores, em uma conversa gravada, Coutinho debate valores de supostas propinas com o operador da Organização Social Cruz Vermelha (CVB) e do Instituto de Psicologia Clínica Educacional e Profissional (Ipcep), Daniel Gomes. No áudio, Ricardo questiona sobre o pagamento de quantias em atraso.

O Ministério Público apresentou a hierarquização e divisão da suposta organização criminosa: núcleo político (composto por agentes políticos); núcleo econômico (formado por empresas contratadas pela administração pública); núcleo administrativo (formado por gestores públicos do governo do estado da Paraíba) e núcleo financeiro operacional (constituído por responsáveis em receber, repassar e ocultar dinheiro e vantagens indevidas).

 

Redação

Redação

1 Comentário