Jogo Sujo

TSE cassa mandato da senadora Selma Arruda por prática de caixa dois e convoca nova eleição para o Senado em Mato Grosso

Senadora Selma Arruda

Conhecida como “Moro de saias” e relatora do projeto de lei que disciplina prisão após a condenação em segunda instância, ela foi acusada de corrupção e abuso de poder econômico

O Superior Tribunal Eleitoral (TSE) decidiu cassar, por seis votos a um, o mandato da senadora Selma Arruda (Podemos-MT). A decisão, proferida na noite de terça-feira (10/12), determina que sejam realizadas novas eleições no estado. Além disso, ela está inelegível até 2026. Selma Arruda pode permanecer no cargo até a publicação do acórdão (decisão tomada pelo tribunal), o que não tem prazo.

“Se determina a realização de um novo pleito para senador, tendo em vista que ainda faltam 15 meses para o término do mandato”, declarou a ministra Rosa Weber.

Selma, conhecida como “Moro de saias”, é ex-juíza e ficou conhecida por mandar para a cadeia políticos do alto escalão de Cuiabá, inclusive um ex-governador de Mato Grosso, elegendo-se com a bandeira do combate à corrupção. A senadora foi acusada de caixa 2 e abuso do poder econômico por seis dos sete ministros do TSE.

O entendimento do TSE tem efeito imediato, a partir da publicação do acórdão (decisão). O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, será notificado da decisão. Os suplentes também foram cassados e todos ficam inelegíveis por oito anos. Cabe recurso da decisão.

Para o ministro Luís Felipe Salomão, um dos pontos mais graves do processo é a constatação do uso de mais de 70% dos recursos sem estruturação contábil.

“Em suma, o conjunto probatório revela-se firme, a meu juízo no sentido de que a cabeça da chapa e seu primeiro suplente usaram recursos próprios substanciais para pagar serviços de publicidade e marketing antes do início do período eleitoral sem passar pela conta de campanha e com consequente omissão no ajuste contábil a fim de desmarcar a realidade e inviabilizar a fiscalização”, afirmou.

A ministra Rosa Weber deu o sexto voto pela cassação da senadora.

“Concluo pela captação de recursos ilícitos e abuso de poder. Houve alto grau de comprometimento do dinheiro total usado na campanha”, disse a presidente do TSE, última a votar.

Senadora fala em perseguição política
A assessoria da parlamentar do Mato Grosso enviou um comunicado à imprensa após o anúncio da cassação.
A senadora Juíza Selma recebeu a notícia sobre sua cassação pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com equilíbrio, respeito e serenidade, mas com a convicção de que, mesmo diante de tudo, ela e todos que defendem o combate à corrupção saíram vitoriosos. 

Apesar das vontades políticas terem prevalecido no seu julgamento, a parlamentar acredita que o resultado traz uma lição muito importante sobre a necessidade da luta diária para livrar o País de corruptos.
A senadora agradece a todos os parlamentares e seguidores das suas redes que prestaram apoio e solidariedade nesse momento, principalmente, àqueles que compreendem que nesse processo ela foi alvo de perseguições políticas, e, por ter sido eleita, sofreu as consequências pelas ações desempenhadas durante sua atuação na magistratura de Mato Grosso.

Redação

Redação

3 Comentários