Jogo Sujo

Coronavírus: CGU já recebeu mais de duas mil denúncias de irregularidades em contratos com verbas da saúde

Operação Alquimia

Operação Alquimia foi deflagrada na Paraíba para combater superfaturamento na compra de livros com verbas da saúde. Ministro afirmou que novas ações serão realizadas em breve

Nos últimos dois dias foram registradas 115 denúncias de fraude em contratações, de um total de 170 relacionadas à pandemia do novo coronavírus em todo o país, informou o ministro da Transparência e Controladoria-Geral da União, Wagner Rosário. A CGU já havia recebido 2.200 denúncias desde o início da pandemia.

O ministro atribui o aumento das denúncias à chegada dos recursos transferidos pela União a estados e municípios para lidar com a pandemia.

“Justamente o período em que o dinheiro começou a chegar na ponta. As aquisições iniciaram, e aí iniciam as denúncias“, declarou o ministro, ressaltando queque a CGU está atenta ao uso dos recursos públicos.

“Que os corruptos que estejam a postos abram o, olho porque nós vamos ter uma atuação implacável”, disse Rosário, afirmando que CGU agirá em parceria com a Polícia Federal.

A primeira operação da CGU em parceria com a PF, chamada Alquimia, foi deflagrada nesta quinta-feira (23/4) na cidade de Aroeiras, na Paraíba. Foram cumpridos três mandados de busca e apreensão na residência do investigado, em uma empresa e na Prefeitura da cidade.

Prefeitura comprou livros superfaturados com verba da saúde com a justificativa de informar sobre o coronavírus
A investigação começou a partir de indícios de irregularidades na aquisição de livros, pela Prefeitura, com recursos do Fundo Nacional de Saúde, por meio de procedimentos de inexigibilidade de licitação, com a explicação de auxiliar na disseminação de informação e combate à situação de pandemia do coronavírus (Covid-19). Uma das aquisições de livros ocorreu justamente no período de combate à Covid-19 e sob o pretexto de enfrentamento ao vírus.

A investigação demonstrou que livros e cartilhas similares estão disponibilizadas gratuitamente na página do Ministério da Saúde na internet. Além disso, a CGU apontou que um dos livros foi adquirido pelo município cerca de 330% acima do valor comercializado na internet, o que ocasionou um superfaturamento correspondente a R$ 48.272,00.

As irregularidades praticadas pela Prefeitura de Aroeiras impactaram negativamente às ações de combate à Covid-19 voltadas à população carente do município, de acordo com a CGU. Com uma população estimada em cerca de 19 mil habitantes, para combater o coronavírus, Aroeiras recebeu do Governo Federal e do Governo do Estado da Paraíba o montante de R$ 214.188,68, mas, ao invés de utilizar os recursos para aquisição de materiais e serviços a serem utilizados em ações efetivas de combate ao Covid-19, como a da compra de equipamentos de proteção individual para uso dos profissionais de saúde do município.

O ministro afirmou que novas operações de combate à corrupção já foram planejadas.

Redação

Redação

2 Comentários