Jogo Sujo

Contratação de varredores de rua fantasmas é investigada em Uruguaiana (RS)

Uruguaiana PF Agencia Brasil

Uma operação realizada pela Polícia Federal (PF) e pelo Ministério Público Eleitoral do Rio Grande (MPRS) investiga desvios de recursos públicos em contratos de limpeza urbana com o uso de varredores de rua fantasmas. A Operação Gaspar apura crimes eleitorais que teriam ocorrido na campanha eleitoral municipal de 2020. Pouco antes das eleições, a empresa beneficiada teria contratado varredores fantasmas. Alguns teriam sido parentes dos próprios empresários investigados, moradores de Santa Catarina. A suspeita é que parte desses valores foram desviados para financiar a campanha eleitoral de 2020.

Os contratos suspeitos foram firmados entre a prefeitura de Uruguaiana (RS) e uma empresa de Santa Catarina, que presta serviços desde 2017 ao município gaúcho. O inquérito apura crimes de licitação, omissão em prestação de contas eleitorais e apropriação de bens públicos. As pessoas que figuram como investigadas são agentes públicos e empresários. A operação foi batizada de Gaspar em alusão ao personagem infantil Gasparzinho, conhecido como o fantasminha camarada.

Na ação, 50 policiais federais e dez servidores do Ministério Público Estadual cumpiram 12 mandados de busca e apreensão em Uruguaiana, deferidos pelo Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul (TRE-RS).

“Com base no compartilhamento de prova colhida durante a investigação da Operação Pombo de Ouro, em Santa Catarina, o Ministério Público Eleitoral do Rio Grande do Sul representou pela cassação dos mandatos dos agentes públicos investigados. O MPRS também instaurou inquérito civil para investigar possíveis atos de improbidade administrativa cometidos por empresários e agentes públicos”, comunicou a Polícia Federal.

 

Redação

Redação

Comentar