Jogo Sujo

Gilmar Mendes suspende processos no STF contra Arthur Lira por suspeita de propina

Arthur Lira

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, determinou hoje (20/4) a suspensão de três ações contra o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), por improbidade administrativa, apresentadas à Justiça Federal do Paraná em desdobramento das investigações da Lava Jato. Conforme o blog havia noticiado, a denúncia foi oferecida pela Procuradoria-Geral da República (PGR) contra Lira, pelo suposto recebimento de propinas no valor de R$ 1,6 milhão da construtora Queiroz Galvão. As ações tramitavam na primeira instância da Justiça, uma vez que não há foro privilegiado nesses casos.

Ao suspender os processos, Gilmar Mendes atendeu a um pedido da defesa do deputado. A suspensão vale até que o STF julgue a ação de maneira definitiva. A defesa do deputado argumentou que, como o STF rejeitou, em 2017,  uma denúncia da PGR contra Lira, e há conexão entre os fatos dos dois processos, a ação de improbidade não deveria ter desdobramento. O pai de Arthur Lira, o ex-senador Benedito de Lira, também foi beneficiado.

Para os procuradores do Ministério Público Federal (MPF), pai e filho receberam cerca de R$ 1,6 milhão por meio de doações eleitorais oficiais, pagamentos de despesas de campanha por empresas de fachada e em dinheiro vivo. Tudo teria sido feito em troca do apoio a Paulo Roberto Costa na Diretoria de Abastecimento da Petrobras.

 

Redação

Redação

Comentar